Desde a fase embrionária em meados de 2001, a oficialização em 2003, até os dias de hoje, muita água passou por baixo da ponte da SIB - Sociedade dos Ilustradores do Brasil. Através da nossa entidade, de grupos de discussão on-line, de encontros regionais, de salões e mesmo de conversas informais, os profissionais do traço costuraram uma rede de informação poderosa e eficaz, onde todos os assuntos relativos à profissão são discutidos à exaustão. Novas idéias, novas técnicas, novos equipamentos. Livros, palestras, cyber-textos e uma infinidade de conhecimento navegam pela net.

Se antes os ilustradores viviam isolados em seus estúdios, hoje fazem parte de uma grande comunidade que procura redesenhar uma nova realidade profissional, ética e afetiva, caminhando contra uma maré que insiste que arte, livros, comunicação e conhecimento se resumem a números e planilhas de faturamento.

Crises pipocam aos montes. Políticas, econômicas, sociais, de indentidade e, principalmente, de valores. Sob tal condição, lutamos pela sobrevivência e nos esquecemos da beleza, do amor e da arte. Enquanto ilustradores buscam o brilho e mais lucidez, parte do cenário profissional parece adaptado às sombras, aos contratos leoninos, práticas de leilão e concorrências desleais, sob a justificativa de mais uma crise de ocasião.

Com o apoio do SENAC e do Centro Universitário Maria Antonia podemos mais uma vez colocar todos esses assuntos em pauta com inteligência e disposição para que o cenário e o futuro sejam mais prósperos e criativos.

A SIB e seus artistas associados têm trabalhado para que todos tenham um lugar ao sol, prezando suas idéias e talento, em nome da excelência artística, refinamento técnico e diversidade, atendendo tanto as necessidades de mercado, quanto preenchendo as demandas existenciais humanas.